A gente sempre fala por aqui sobre a importância de se planejar as ações no Marketing Digital e o quanto isso faz grande diferença para alcançar resultados positivos.

Como já mencionado em outros posts, fazer um bom plano de marketing digital pode ser o diferencial entre você e a concorrência na hora de aumentar suas vendas e suas oportunidades de negócio.

Acreditamos que você já saiba, mas não custa nada lembrar, que o marketing digital, basicamente, é o conjunto de atividades desenvolvidas online com o intuito de atrair novas oportunidades de negócio, além de visar desenvolver e solidificar uma identidade de marca.

E para alcançar todos esses resultados é preciso, antes de tudo, planejar. Então descubra agora mesmo como montar um bom plano!

O que é um plano de marketing digital?

Antes de começarmos a estruturar o plano, é bom entender o que ele é. Resumidamente, um plano de marketing digital é um planejamento das ações de marketing que uma empresa pretende realizar no ambiente digital.

É nele que a estratégia de marketing é construída, os objetivos são estabelecidos e os passos para chegar até eles definidos.

E é por isso que não existe um plano único que se aplica a todos os empreendimentos.

Cada empresa tem suas peculiaridades de mercado que devem ser levadas em consideração na hora de bolar a estratégia de marketing. Por isso, o primeiro passo para um bom plano de marketing digital é a pesquisa.

1. Pesquisa

É onde tudo começa! A pesquisa irá te mostrar qual caminho a ser seguido, quais métodos já são utilizados por concorrentes, qual seu público-alvo e muitos outros detalhes importantíssimos.

É aqui que você deve definir as metas, o que depois servirá de guia para pensar as ações que deverão ser tomadas.

Para realizar sua pesquisa é necessário pensar em alguns pontos:

  • Quais são os meus objetivos?

Ao definir um plano é importante considerar os vários objetivos que serão estabelecidos conforme as necessidades do seu negócio e o tempo que será preciso para que eles sejam alcançados.

Ou seja, esse tempo está relacionado ao prazo, o que irá categorizar os seus objetivos em curto, médio e longo prazo.

Um recurso muito usado nos planos para evitar erros é o SMART, que ajuda a definir as características essenciais de um objetivo de marketing.

As siglas evidenciam que esse objetivo é relevante desde que seja:

Specific ou específico: todos os envolvidos devem ter claro entendimento do que se trata;

Measurable ou mensurável: não faz sentido criar uma meta se ela não puder ser medida ou tiver critérios subjetivos, certo?

Actionable ou atingível: objetivos fáceis levam ao desperdício de oportunidades, e objetivos difíceis demais podem desmotivar o time. As metas mais bem elaboradas são simultaneamente desafiadoras e realistas;

Relevant ou relevante: ao estabelecer um objetivo, certifique-se de que ele é crucial para o seu negócio;

Time-bound ou temporal: toda meta precisa ter um prazo para ser alcançada. Evidentemente, metas para um mês, trimestre ou ano têm características diferentes.

  • Qual é o cenário do mercado?

Pesquisar sobre o cenário do mercado irá te ajudar a entender os hábitos online dos clientes e da concorrência também. Assim, fica muito mais fácil ver o que pode dar certo e o que pode dar errado, antes mesmo de começar a aplicar as ações.

  • Quais são minhas personas?

Saber qual a linguagem adequada para falar com o seu público torna sua mensagem muito mais efetiva. Entender bem como o seu consumidor se comporta nas redes sociais irá te ajudar a pensar como chegar até ele mais facilmente.

2. Planos de ação

Hora de pensar nas ações!

Após a pesquisa, é hora de pensar nas ações para começar a botar a mão na massa!

É nesse ponto que você deve esclarecer exatamente quais ações serão tomadas para alcançar os objetivos definidos na etapa do planejamento. E claro, sempre mantendo em mente as análises feitas na etapa anterior a respeito do público e do mercado.

Para definir o plano de ação, faça as seguintes perguntas:

  • Quais canais irei utilizar?

Cada canal digital pode ser utilizado de uma maneira diferente para um objetivo diferente.

Por exemplo, entre as redes sociais, Facebook e Twitter podem ser usados de forma mais descontraída e informal, enquanto o Linkedin é um meio de relacionamento mais profissional. Para além desses exemplos, ainda é possível criar blogs, utilizar o Instagram, fazer e-mail marketing, utilizar plataformas de vídeos e muitos outros. Algumas redes sociais ainda te permitem criar contas específicas para empreendimentos!

  • Qual vai ser o formato do meu conteúdo?

O conteúdo é o que vai, de fato, atrair o público. Ou seja, é preciso criar um conteúdo de qualidade que seja relevante para o seu público.

É importantíssimo pensar que cada uma dessas redes sociais possuem peculiaridades e são utilizadas por pessoas bem distintas. Ou seja, para cada uma delas, é necessário trabalhar um formato diferente de conteúdo.

  • Como irei monitorar os resultados dessas ações?

É preciso medir se as ações tomadas estão sendo efetivas, para isso, é necessário definir quais serão as métricas que serão mensuradas e como você irá acompanhá-las.

  • Qual será o cronograma para executar essas ações?

O cronograma deve ser feito para sempre deixar claro qual a frequência que o seu conteúdo será veiculado nas redes sociais escolhidas na etapa anterior.

Isso é primordial para criar uma regularidade e, claro, uma conexão entre eles.

Pesquise sobre os melhores momentos para soltar conteúdo novo em cada rede social e utilize isso!

Por exemplo, se você fizer uma postagem no meio da madrugada, dificilmente terá um bom resultado, pois menos pessoas estarão acessando a rede naquele momento específico. Por isso, esteja sempre atento aos horários em que o seu público está online.

3. Execução

Agora é hora de executar tudo que foi planejado!

Sempre mantendo em mente os objetivos, procure seguir o cronograma e criar conteúdo relevante para a sua audiência e, claro, de muita qualidade.

Seja criativo! Saiba como cativar o seu público, criar engajamento e fazer com que a identificação com a sua marca cresça. Isso vai ser fundamental para fazer sua marca se destacar da concorrência.

Dica: Uma excelente forma de fazer exatamente isso é utilizando vídeos!

Os vídeos são excelentes ferramentas para o seu marketing digital, e os dados já mostram claramente porque esse formato de conteúdo é bastante efetivo para uma estratégia de marketing.

  • Uma pesquisa da Cisco mostra que, até 2020, vídeos serão responsáveis por mais de 80% de todo o tráfego na internet.
  • Páginas que possuem vídeos podem aumentar até 2 minutos do tempo de permanência do visitante. Isso é uma ótima forma de melhorar o SEO da sua página!
  • 90% das pessoas estão mais dispostas a comprar algum produto após assistir a um vídeo sobre ele. Isso significa que a chance de um cliente concretizar uma compra praticamente dobra se ele tiver acesso a conteúdo audiovisual!

Basicamente, os vídeos podem te ajudar tanto na hora de fazer o seu plano de marketing digital, quanto na hora de começar a vender seu produto.

Executar as ações é muito importante, mas o marketing digital não para por aqui. Após todas essas etapas, está na hora de mensurar os resultados para ver o que deu certo e o que precisa passar por mudanças.

Execução e análises são fundamentais

4. Análise de resultados

De nada serve um plano de marketing se você não reunir os dados para saber se sua estratégia foi um sucesso ou ainda precisa de melhorias, certo? É para isso que você deve mensurar e analisar os resultados das ações realizadas.

Hoje em dia, existem ferramentas gratuitas, como o Google Analytics, que são ótimas aliadas para mensurar resultados como visitas, cliques e conversões. Assim, é possível verificar de perto dados importante.

Listamos abaixo algumas métricas de marketing e aconselhamos que você estude mais sobre o assunto ao criar o seu plano.

Visitantes Únicos: qual é o número de pessoas que acessam a sua página. Cada visitante é contado apenas uma vez dentro do período de tempo indicado;

Sessões: é o conjunto de interações, tal qual as visualizações de página e cliques, que um mesmo usuário executa em um dado período;

Tráfego Orgânico e Pago: representa a quantidade de sessões que são originadas de mecanismos de busca e campanhas pagas na web;

Taxa de Rejeição: é a porcentagem de usuários que realizam apenas uma visita, sem realizar outras interações, como cliques e visualizações de páginas;

Taxa de Conversão: é a porcentagem resultante entre o número de visitas e o número de conversões realizadas;

Links Externos: é o volume e a qualidade de links vindos de outros domínios que direcionam para o seu site ou blog.

Há ainda alguns outros cálculos mais complexos, de extrema importância e que precisam de uma atenção maior na hora da análise, como o ROI (Retorno sobre investimento) e o CAC (Custo de aquisição de clientes), ambos totalmente ligados à lucratividade das suas estratégias.

ROI: Retorno Sobre Investimento

O ROI representa uma comparação entre o quanto você cresceu em vendas e o quanto você gastou.

Assim, a fórmula do ROI é:

ROI = retorno – custo do investimento / custo do investimento

Suponha que, somados todos os custos, seu investimento total em Marketing de Conteúdo foi de R$ 100 mil durante 1 ano.

Nesse período, essa estratégia foi responsável por 120 vendas com uma receita média de R$ 5.000,00, resultando um ROI de 5 ou 500%.

Logo, para cada real investido nessa suposta estratégia de Marketing de Conteúdo, 5 reais retornaram em forma de lucro – o que seria um ótimo resultado!

CAC: Custo de Aquisição de Clientes

O CAC nada mais é do que a relação entre o número de clientes e o seu gasto com Marketing Digital. Essa métrica busca responder à pergunta: “quanto eu preciso investir para atrair um novo cliente?”.

Assim, ela é calculada pela divisão dos seus custos destinados à aquisição de clientes pelo número de novos clientes no período.

Supondo que uma empresa gastou R$100 mil em marketing em um ano e adquiriu 120 novos clientes nesse ano, seu CAC é de R$833,33.

Antes de pensar no lucro é preciso pensar nas métricas

Existem ainda outras métricas de marketing digital a serem exploradas durante a construção do seu plano. E é no planejamento que você vai conhecer todas métricas e escolher as que melhor se adequam ao seu negócio.

É importante sempre lembrar que uma das principais vantagens do Marketing Digital é ser mensurável. Assim, a possibilidade de documentar e avaliar as estratégias usadas permite uma compreensão e tomada de decisões baseadas em dados.

Então, atente-se sempre a esses detalhes durante a construção do seu plano para que você consiga pesquisar, planejar, executar e analisar suas ações de forma assertiva e, no fim, obter sucesso nos resultados.

Para continuar aprendendo mais sobre Marketing Digital e as várias possibilidades existentes nesse universo é só permanecer acompanhando o nosso blog e nos seguindo nas redes socais, onde também estamos presentes trazendo o melhor do conteúdo para você!

E até o próximo post!

You may also like

Leave a Comment